Somos Filiados
A Casa é do Trabalhador, e a questão é Nossa
Voltado ao risco iminente de acidente e doenças ocupacionais
Chapada dos Guimarães e Stº A. Leverger
Barão de Melgaço, Tangará da Serra, Rosário Oeste,
Cuiabá, Várzea Grande, Livramento, Poconé, Barra do Bugres,
Conheça as Cidades que atendemos:
Filie-se e venha conhecer todos os nossos benefícios para você
Visitante: 5000
Segurança no Trabalho
 
MEDIDAS  E  CONDUTAS  PREVENTIVAS

A.    EM RELAÇÃO AOS SERVIÇOS DE DEMOLIÇÃO:
1.    Toda  demolição  será  programada  e  dirigida  por  profissional  legalmente  habilitado;
2.    Antes de iniciar a demolição, as linhas de fornecimento de energia elétrica, água, inflamáveis líquido e gasosos liquefeitos, substâncias tóxicas,  canalizações de esgoto e de escoamento de água serão desligadas, retiradas, protegidas ou isoladas;
3.    As construções vizinhas à obra de demolição serão examinadas, prévia e periodicamente, no sentido de ser preservada sua estabilidade e a integridade física de terceiros;
4.    Antes de iniciar a demolição de um pavimento, serão fechadas todas as aberturas existentes no piso e serão removidos os vidros, ripados, estuques e outros elementos frágeis;
5.    Durante a demolição e remoção, os materiais das edificações serão previamente umedecidos;
dos entulhos, por gravidade, será feita em calhas fechadas, com inclinação máxima de 45° (quarenta e cinco graus), fixadas à edificação em todos os pavimentos;
7.    Durante a execução de serviços de demolição serão instaladas plataformas de retenção de entulhos em todo o perímetro da obra.
B.    EM RELAÇÃO AOS SERVIÇOS DE ESCAVAÇÕES E FUNDAÇÕES:
1.    Os serviços de escavação e fundação serão programados e dirigidos por por responsável técnico  legalmente  habilitado;
2.    Os acessos dos trabalhadores, veículos e equipamentos às áreas de escavação e cravação de estacas  terão sinalização de advertência permanente e será proibido o acesso de pessoas não autorizadas;
3.    Os muros, edificações vizinhas e todas as estruturas que possam ser afetadas pela escavação serão previamente escoradas;
4.    Quando houver possibilidade de infiltração ou vazamento de gás, o local será devidamente ventilado e monitorado;
5.    Quando existir cabo subterrâneo de energia elétrica nas proximidades das escavações, o cabo será desligado ou serão tomadas medidas especiais junto à concessionária;
6.    Nas escavações com mais de 1,25 m. de profundidade, os taludes terão sua estabilidade garantida  e  serão  instaladas  escadas  ou  rampas;
7.    Os materiais retirados das escavações serão depositados a uma distância superior à metade da profundidade, medida a partir da borda do talude;
8.    Na execução de escavações e fundações sob ar comprimido será obedecido o disposto no Anexo nº 6 da NR-15 da Portaria 3214/78;
9.    Nas escavações realizadas em vias públicas, haverá sinalização de advertência, inclusive noturna,  e  barreira de isolamento em todo o seu perímetro.
C.    EM RELAÇÃO AOS SERVIÇOS DE ARMAÇÕES DE AÇO:
1.    A dobragem e o corte de vergalhões de aço em obra serão feitos sobre bancadas ou plataformas apropriadas e estáveis, afastadas da área de circulação de trabalhadores;
2.    A área de trabalho onde está situada a bancada de armação terá cobertura resistente, piso não-escorregadio e as lâmpadas serão protegidas contra impactos provenientes da projeção de partículas ou de vergalhões.
D.    EM  RELAÇÃO  AOS TRABALHOS  COM  ESTRUTURAS  DE  CONCRETO:
1.    Os trabalhos com estruturas de concreto serão supervisionados  por profissional legalmente habilitado, sendo que antes do início dos trabalhos todos os dispositivos e equipamentos serão obrigatoriamente inspecionados por trabalhador qualificado;
2.    As fôrmas serão projetadas e construídas de modo que resistam às cargas máximas de serviço, sendo que os suportes e escoras de fôrmas serão obrigatoriamente inspecionados antes  e  durante  a  concretagem;
3.    Durante a desfôrma, serão providenciados a amarração das peças e o isolamento e sinalização  ao  nível  do  terreno;
4.    Os vibradores terão dupla isolação e os cabos de ligação serão protegidos contra choques mecânicos  e  cortes  pela  ferragem;
5.    As caçambas transportadoras de concreto terão  dispositivos de segurança que impeçam o seu descarregamento acidental.
H.    EM  RELAÇÃO  ÀS  ESCADAS,  RAMPAS  E  PASSARELAS:
1.    Todas as escadas, rampas e passarelas serão dotadas de corrimão e rodapé e em sua construção será utilizada madeira de boa qualidade;
2.    As escadas provisórias terão largura mínima de 80 cm. e um patamar intermediário a cada 2,90 m.;
3.    As escadas de mão terão no máximo 7,0 m. de extensão, com espaçamento uniforme entre os degraus, variando entre 25 e 30 cm.;
4.    As rampas provisórias serão fixadas no piso inferior e superior, e sua inclinação não ultrapassará 30° (trinta graus) em relação ao piso;
5.    Nas rampas provisórias com inclinação superior a 18° (dezoito graus) serão fixadas peças transversais, espaçadas em 40 cm., no máximo, para apoio dos pés.
I.    EM RELAÇÃO ÀS MEDIDAS DE PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS DE ALTURA:
1.    Todas as aberturas no piso terão fechamento provisório resistente, sendo que as aberturas utilizadas para transporte vertical de materiais serão protegidas por guarda-corpo fixo e por sistema de fechamento do tipo cancela ou similar;
2.    Os vãos de acesso às caixas dos elevadores terão fechamento provisório de, no mínimo,  1,20 m.  de  altura, constituído de material resistente e seguramente fixado à estrutura, até a colocação definitiva das portas;
3.    Os sistemas de guarda-corpo e rodapé serão construídos com altura de 1,20 m. para o travessão superior, 70 cm. para o travessão intermediário e 20 cm. para o rodapé, sendo que os vãos entre os travessões serão preenchidos com tela ou outro dispositivo que garanta o fechamento seguro da abertura;
4.    A partir do início dos serviços necessários à concretagem da 1º (primeira) laje, será providenciada a instalação de proteção contra queda de trabalhadores e projeção de materiais;
5.    No caso de edifícios com mais de 4 (quatro) pavimentos ou altura equivalente, será providenciada a instalação de uma plataforma principal de proteção em todo o perímetro da construção na altura da 1º (primeira) laje. Acima e a partir da plataforma principal, serão instaladas  plataformas  secundárias  de  proteção,  em  balanço,  de  3 (três) em 3(três) lajes;
6.    No caso de edifícios, o perímetro da construção será fechado com tela a partir da plataforma principal de proteção.
EM  RELAÇÃO  AOS  TRABALHOS   EM   ANDAIMES:
1.    O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, será realizado por  profissional  legalmente  habilitado;
2.    Todos os  andaimes disporão de sistema guarda-corpo e rodapé em todo o perímetro, com exceção da face do lado do trabalho;
3.    Será proibido o trabalho em andaimes apoiados sobre cavaletes que possuam altura superior a 2,00 m. e largura inferior a 90 cm.;
4.    Será proibido a utilização de andaimes de madeira em obras acima de 3 (três) pavimentos ou altura equivalente;
5.    A estrutura dos andaimes será fixada à construção por meio de amarração e entroncamento, de modo a resistir aos esforços a que estará sujeita;
6.    Os andaimes fachadeiros disporão de proteção com tela  de arame galvanizado (ou material
equivalente), desde a primeira plataforma de trabalho até pelo menos 2 m. acima da última plataforma de trabalho;
7.    Nos andaimes móveis, os rodízios serão providos de travas de modo a evitar deslocamentos acidentais;
8.    As cadeiras suspensas (balancins individuais) serão dotadas de dispositivo de subida e descida com dupla trava de segurança e de sistema de fixação do trabalhador por meio de cinto de segurança tipo paraquedista  ligado  ao  trava-quedas  em  cabo-guia independente.
.   EM  RELAÇÃO  À  PROTEÇÃO  CONTRA  INCÊNDIO:
1.    Serão adotadas medidas que atendam, de forma eficaz, às necessidades de prevenção e combate a incêndio para os diversos setores, atividades, máquinas e equipamentos do canteiro  de  obras,  em  conformidade  com  a  NR-23  da  Portaria  3214/78;
2.    Será organizada uma equipe de trabalhadores especialmente treinados no correto manejo do material disponível para o primeiro combate ao fogo.
R.    EM  RELAÇÃO  À  SINALIZAÇÃO  DE  SEGURANÇA:
1.    O canteiro de obras será sinalizado com o objetivo de prevenir acidentes, identificar os equipamentos de segurança, advertir contra riscos de quedas, alertar quanto à obrigatoriedade do uso de equipamentos de proteção individual (EPI), delimitar áreas com substâncias tóxicas, corrosivas, inflamáveis, explosivas e radioativas, identificar os locais de apoio que compõem o canteiro de obras, indicar acessos e saídas para pessoas e veículos, entre outros,  em  conformidade  com  a  NR-26  da  Portaria  3214/78;
2.    Nos serviços em vias públicas, será obrigatório o uso de colete ou tiras reflexivas na região do  tórax  e  costas.
.   EM  RELAÇÃO À ORDEM  E  LIMPEZA:
1.    O canteiro de obras será mantido organizado, limpo e desimpedido, notadamente nas vias de circulação, passagens e escadarias;
2.    O  entulho  e  quaisquer  sobras  de  materiais  serão  regularmente  coletados  e   removidos;
3.    Será providenciada a colocação de tapumes com altura mínima de 2,20 m., de forma a impedir  o  acesso  de  pessoas  estranhas  no  serviço;
 
4.    Nas edificações com mais de 2 (dois) pavimentos, executadas no alinhamento do logradouro, será providenciada a construção de galerias sobre o passeio, com altura interna livre de no mínimo 3,0 metros.
 
 

 

SINTRAICCCM
SINDICATO DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CUIABÁ E MUNICÍPIO
Av. Isaac Póvoas, Nº. 1191, Caixa Postal. 323 - Centro - Cuiabá - MT
(65) 3322-1202 / (65) 3623-2141
Desenvolvido pela Angel Sistemas